top of page
  • Foto do escritorMiguel Ferreira

Começou e não acabou mais!

Estamos no início de mais um race weekend! A parada da vez é na gelada e chuvosa terra do xarope de maple: Canadá! E para comemorar a chegada de mais uma etapa, vamos relembrar quando o circuito de Montreal foi palco da corrida MAIS LONGA da HISTÓRIA da Fórmula 1. Vem destrinchar mais de 4 HORAS de corrida comigo!


O final de semana do dia 12 de Junho começou com expectativas altas. Previsão de tempo instável, até mesmo chuva estavam deixando os fãs ainda mais empolgados. No sábado de classificação, Sebastian Vettel conseguiu a posição de honra, seguido de  Fernando Alonso e Felipe Massa. No domingo de GP, o dia amanheceu com chuva e, conforme o tempo passava e ela ficava mais forte, a corrida iniciou de maneira lançada. Esse era apenas o início de uma grande corrida, literalmente.


Já na curva 2, Mark Webber e Lewis Hamilton, disputavam a quarta posição e o australiano levou a pior, caindo para o fim do pelotão. Algumas voltas depois, o próprio Hamilton, em uma tentativa de ultrapassar seu companheiro de equipe, Jenson Button - guarde esse nome - abandonou a corrida após a quebra da suspensão gerada no contato caseiro. Como punição, Button teve que cumprir um Drive Through e caiu para a 14ª posição. 


Poucas voltas depois, devido à chuva muito forte e intensa que desabava em Montreal, a direção de prova acionou a bandeira vermelha. Entretanto, a paralisação durou 2 horas, uma vez que as condições da pista não melhoraram de jeito algum. Na relargada, ainda comandada por Sebastian Vettel, Alonso rodou e ficou preso numa zebra, depois de disputar com Jenson Button, que, com o carro danificado - mais uma vez - perderia as posições já conquistadas para reparar o carro nos boxes.


Faltando 10 voltas para acabar a corrida, Felipe Massa derrapa e atinge o muro. Ao mesmo tempo, Nick Heidfeld, bate na traseira de Paul di Resta e o Safety Car é acionado mais uma vez, para a retirada dos muitos detritos na pista. Na relargada de número 890, a disputa pela segunda posição entre Jenson Button, Mark Webber e Schumacher, estava feroz. Na ÚLTIMA volta, Vettel, que até então estava dominando a corrida, ao sentir a pressão de Button, desliza numa curva e possibilita a ultrapassagem do inglês, perdendo assim o grande prêmio a poucos metros da bandeirada.


4 horas, 4 minutos e 39 segundos foi o tempo que o GP do Canadá de 2011 durou, da largada à bandeirada. Uma corrida caótica, icônica, gigante (em todos os sentidos) e que, definitivamente, entrou para a história da categoria. Dito tudo isso, o que será que podemos esperar da edição de 2024 da etapa canadense? Descobriremos apenas no domingo.

0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo

Comments


Mais notícias

bottom of page